Menuidioma

Fiocruz Brasília se prepara para Reunião Anual de Iniciação Científica (RAIC)

  • 18 de Setembro de 2012

Realizada em todas as unidades da Fiocruz, RAIC chega a 2ª edição na FIOCRUZ Brasília com apresentações de bolsistas de iniciação científica e tecnológica

Com objetivo de proporcionar uma oportunidade para a exposição e discussão de trabalhos de bolsistas de iniciação científica (IC) e iniciação tecnológica (IT), a Fiocruz organiza, anualmente, a Reunião Anual de Iniciação Científica (RAIC). Esta é a ocasião criada para que haja um intercâmbio de experiências entre os estudantes e os pesquisadores.

Apesar de a RAIC ser um evento novo na FIOCRUZ Brasília, no Rio de Janeiro ele já está em sua vigésima edição e mobiliza as 16 unidades da instituição. Na unidade de Brasília, esta será a segunda, com apresentações de quatro bolsistas. Os estudantes entraram na Fiocruz por meio do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIBIC e PIBITI) cedido pelo Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) para instituições de ciência e tecnologia, realizado no final de julho deste ano, com algumas renovações de bolsas. Orientados por coordenadores de áreas da instituição, os jovens universitários tem a oportunidade de conhecer o ambiente de ciência e tecnologia e participar de projetos importantes que enriquecem o aprendizado pessoal e coletivo.

A FIOCRUZ Brasília possui atualmente quatro bolsistas: Alessandra Barreto, do Programa de Alimentação, Nutrição e Cultura (Palin); Josélia Trindade, do Programa de Epidemiologia e Vigilância em Saúde (Pepivs); e Evelyn de Brito e Ivan Pricken, do Programa de Direito Sanitário (Prodisa). O coordenador da RAIC na FIOCRUZ Brasília e do Programa de Epidemiologia e Vigilância em Saúde (Pepivs), Vitor Laerte, destaca que houve um aumento de bolsistas na instituição: “Isso é muito favorável e mostra o crescimento de pesquisas na instituição. Já avançamos bastante e ganhamos bastantes melhorias. Até ano passado, havia apenas dois bolsistas aqui. Esse ano, já possuímos três bolsistas PIBIC e um PIBITI, isso graças aos projetos aprovados”.

Os dias de apresentações variam em cada unidade. Na FIOCRUZ Brasília, as apresentações estão marcadas para 8 de outubro. A avaliação dos trabalhos será realizada por dois doutores da FIOCRUZ Brasília e um convidado externo. Vitor explica que, após fazerem um julgamento do melhor trabalho da II Raic, existe a possibilidade de o aluno ir para o Rio de Janeiro, representando a FIOCRUZ Brasília na XX RAIC.

Preparação para a RAIC

Para os quatros bolsistas da FIOCRUZ Brasília, participar da RAIC é uma ótima oportunidade, e, por isso, não escondem a ansiedade com a proximidade do evento.
Para a estudante do curso de nutrição da UnB, Alessandra Barreto, a chance de trabalhar em um projeto científico é enriquecedora. Como bolsista, ela atua no projeto desenvolvido pelo Palin, “Promoção da Alimentação Saudável no SUS-DF: conhecimentos, atitudes e prática”. Há um mês sob a orientação da coordenadora da área, Denise Oliveira, ela atua em uma das etapas do projeto que envolve a parte quantitativa.

Para participar da pesquisa, Alessandra conta que estudou intensamente e que tem o apoio da coordenadora da área. “Como o trabalho é extenso, tive que realizar uma grande pesquisa desde o ano de 2000. Para isso, li e me informei bastante”, conta a bolsista.

A estudante de Gestão e Saúde Coletiva da UnB, Josélia de Souza, começou o projeto na FIOCRUZ Brasília no começo deste mês. Ela conta que está se adaptando às funções que possui no projeto “Avaliação da Rede de Vigilância Epidemiológica da Secretária de Saúde do DF”. A estudante está sendo coordenada pelo coordenador do Pepivs e já vê grandes oportunidades dentro da pesquisa: “será uma excelente forma de desenvolver e aprender cada vez mais na minha área”, afirma.

Os bolsistas do Programa de Direito Sanitário (Prodisa) também participarão da II RAIC. Sob tema “Observatório da Saúde do Legislativo: Leis de Saúde na 54ª Legislatura”, o trabalho de Ivan fará um monitoramento das leis sobre saúde que tramitam na Câmara e no Senado. Com objetivo parecido, Evelyn analisará as atividades do Senado Federal nos anos de 2011 e 2012, na área de saúde.

Os dois concordam que participar de um evento como a RAIC ajuda no crescimento universitário e amadurecimento científico. “É muito importante para desenvolver a nossa capacidade de falar em público e nossa postura, para já ter uma noção de como se comportar, além de ser um salto na carreira”, explica Ivan.

Como são as apresentações

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) concede bolsas para Fiocruz, assim como para outras instituições de pesquisa, que são distribuídas entre as unidades que apresentam projetos. Os coordenadores dos projetos são encarregados de selecionar os bolsistas. Eles passam por um longo processo até chegar a atuar nas pesquisas. São os trabalhos que eles realizam dentro das áreas que são apresentados durante a RAIC.

As apresentações serão realizadas na própria FIOCRUZ Brasília, na modalidade apresentação oral. Para ajudar na produção de resumos e conhecer os trabalhos apresentados, o site da RAIC disponibiliza informações completas e o regulamento do evento.

Clique e saiba mais
http://www.pibic.fiocruz.br/raic2012/

Fonte: Fiocruz Brasília