Ciclo de Debates

PRÓXIMAS SESSÕES

XI Ciclo de Debates:
Inteligência Artificial e Desigualdades em Saúde

Inteligência artificial (IA) e outros termos relacionados, como sistemas de decisão algorítmica ou saúde/medicina digital, se referem a formas de tomada de decisões mediante processamento de dados em máquinas, aparentemente sem influência direta de pessoas. Tais inovações representam enorme potencial para ampliar benefícios à saúde individual e coletiva, ao favorecer a expansão do acesso e da qualidade desses bens e serviços; podem, inclusive, auxiliar no alcance das metas de Desenvolvimento Sustentável (ODS/ONU). Contudo, as vantagens auferidas tendem a privilegiar os que podem pagar, além de representar riscos maiores para os pobres. O propósito deste ciclo de seminários é discutir como a inteligência artificial no campo da saúde pode escapar dessa tendência e ajudar a construir um mundo mais justo e humano.

Inteligência Artificial e Atenção à Saúde

Quarta-feira, às 14h

Muitos países almejam ou têm feito progressos em direção a sistemas de saúde para todos, tendência que se fortalece com o avanço da inteligência artificial nesses serviços. Entretanto, estudos recentes apontam riscos de que esse potencial positivo se acompanhe de iatrogenias clínicas e sociais propulsoras de mais discriminação, preconceito e desigualdade. Este seminário aborda aspectos relevantes dessas questões, nos campos da saúde individual e coletiva.

Regulação da Inteligência Artificial
Fernando Aith, diretor do Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário (Cepedisa) da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP)

Iniquidades Amplificadas pelos Algoritmos
Felix Rigoli, pesquisador do Cepedisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP
Apresentação de slides

Coordenação
Fabiana Damásio, diretora da Fiocruz Brasília

Inteligência Artificial e Saúde para Todos


Quinta-feira, às 14h

Inovações mediante uso da inteligência artificial suscitam desafios na execução de políticas públicas voltadas para ampliação do acesso e da qualidade de benefícios sociais. Na área de saúde, tais inovações vêm se difundindo nas áreas de vigilância epidemiológica, teleatendimento e uso de melhores evidências em algoritmos clínicos, pesquisas e serviços administrativos e financeiros e tantas outras aplicações. Nesse contexto, surgem preocupações sobre efeitos indesejáveis desses processos, ao agravar desigualdades entre grupos populacionais e sociais em cada país e entre eles. Este seminário problematiza tais preocupações no âmbito geral das políticas sociais, com ênfase na saúde.

Impactos da Inteligência Artificial nos Sistemas de Saúde
Cécile Petitgand, pesquisadora do Centro de Pesquisa do Centro Hospitalar da Universidade de Montreal (CRCHUM/Canadá)
Apresentação de slides

Lagos de Dados em Saúde: potencialidades e desafios submersos
Maurício Barreto, coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia)
Apresentação de slides

Coordenação
Fernando Aith, diretor do Cepedisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP

Inteligência Artificial e Indústria Farmacêutica

Quinta-feira, às 9h

A cadeia de processos, que vai da pesquisa ao desenvolvimento e inovação de fármacos e imunobiológicos até a disponibilidade e consumo para todos os que necessitam desses produtos, representa um campo fértil de aplicações da inteligência artificial. Uma etapa chave desse processo para a indústria farmacêutica é o desenvolvimento e adoção de guias clínicos orientados por algoritmos, destinados a chancelar a indicação e estimular o consumo massivo de seus produtos. O objetivo deste seminário é discutir a “nova” regulação dos conflitos de interesse ante a potente influência de interesses industriais e financeiros nessa rota de “sucesso digital”.

Iatrogenia na Era dos Algoritmos
Marco Bobbio, secretário-geral da Slow Medicine, Itália

Medicamentos Biológicos: aplicação de algoritmos para eficiência na cobertura universal
Alicia Ferreira Maia, ex-diretora Fundo Nacional de Recursos (FNR/Uruguai)

Coordenação:
Natan Monsores de Sá, chefe do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB)

Regulação em Saúde na Era da Big Data

Quinta-feira, às 14h

A crescente preocupação ligada à vulneração de pessoas e populações ante o avanço da inteligência artificial no campo da saúde decorre dos riscos de que esse processo se acompanhe de tendências à discriminação, preconceito e aumento das desigualdades. Desse modo, torna-se impositivo formular e implantar políticas sociais destinadas a assegurar medidas protetivas eficientes e eficazes a curto prazo.  Este seminário discute desafios, avanços e dificuldades nesse caminho, a partir de experiências nacionais em curso.

Regulação: um caminho no meio da pedra
Gonzalo Vecina Neto, professor da Faculdade de Saúde Pública (FSP/USP)

Algoritmos e Avaliação de Resultados Terapêuticos
Ângela Acosta, professora da Universidade ICESI/Cali, Colômbia

Coordenação:
Swedenberger Barbosa, assessor da Fiocruz Brasília