Menuidioma

ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS

Resoluções internacionais

Resolução FAO CFS 2019/46/2 – Minuta das diretrizes voluntárias sobre sistemas alimentares e nutrição (2019)

Esse documento foi elaborado na 46ª Sessão do Comitê de Segurança Alimentar Mundial da FAO, em outubro de 2019. O objetivo desse documento – e em particular as diretrizes voluntárias – é ser um ponto de referência que forneça orientação baseada em evidência para os governos, instituições especializadas e outros atores, na efetivação de políticas, investimentos e arranjos institucionais visando à redução da má nutrição em todas as suas formas.  

Em que pese os alimentos ultraprocessados e seus nutrientes críticos, essa normativa ilustra elementos importantes de processamento e embalagem de alimentos. De acordo com o documento, o processamento e a embalagem adequados dos alimentos contribuem para reduzir a contaminação dos alimentos, perdas quantitativas e qualitativas, desperdícios e estendendo a vida útil sem comprometer a segurança dos alimentos. O método e a extensão do processamento podem influenciar o grau em que os nutrientes e outras substâncias/agentes entram ou saem da cadeia de suprimentos. Intervenções que visam a melhorar o processamento de alimentos e embalagem devem procurar fornecer alimentos seguros, manter ou até melhorar o conteúdo de nutrientes alimentares, reduzindo o teor de sal, açúcar e gorduras trans, melhorando a qualidade das dietas e contribuindo à prevenção de DCNT.  

Nesse sentido, tecnologias e inovação também desempenham um papel importante. Reforça a capacidade de pequenos e pequenos empresários de processar e embalar alimentos pode ajudar a garantir um fornecimento nutritivo de alimentos e, por sua vez, melhoram a nutrição, a saúde e a geração de renda. 

Acesse o documento completo aqui. 

Recomendações dessa Resolução: 

1. Adotar práticas e tecnologias para proteger e agregar valor nutricional ao longo das cadeias alimentares;
2. Adotar políticas, programas e abordagens para preservar ou adicionar micronutrientes nos alimentos durante o processamento (ou seja, secagem, fermentação, fortificação, pasteurização) ou para evitar ou limitar a quantidade de ingredientes específicos (ou seja, reformulação);
3. Adotar regulamentos para eliminar as gorduras trans produzidas industrialmente do suprimento de alimentos, incluindo a reformulação de alimentos;
4. Restringir a comercialização de produtos rico em gordura, açúcar e sal;
5. Incentivar os varejistas a fornecer alimentos mais nutritivos a preços acessíveis e adquirir produtos locais, principalmente de pequenos agricultores;
6. Implementar metas ou padrões recomendados ou obrigatórios desenvolvidos em diferentes categorias de alimentos para reduzir a ingestão de sal, gordura e açúcar.