Menuidioma

Pesquisadores debatem complexo econômico-industrial da saúde em Fortaleza

  • 26 de Novembro de 2014

 

 

Ciclo de Debates reuniu pesquisadores e autoridades durante dia de palestras na Escola de Saúde Pública do Ceará

mesa de abertura

A representante da Universidade Estadual do Ceará professora Gláucia Posso Lima, a representante da Universidade Federal do Ceará Andrea Silvia Walter, o deputado federal do Ceará (PT) Odorico Monteiro, o coordenador do Nethis, José Paranaguá Santana, a representante da Escola de Saúde Pública do Ceará Isabel Cristina Cavalcanti, o diretor da Fiocruz Ceará, Antonio Carlile Lavor, e a representante da Unilab Lorita Pagliuca.

 

Cooperação Sul-Sul, complexo econômico-industrial da saúde e bioéticaforam os temas do V Ciclo de Debates, promovido pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (Nethis/Fiocruz) em parceria com a Fiocruz Ceará e com o Governo do Estado do Ceará. O evento ocorreu no dia 24 de novembro, no Auditório da Escola de Saúde Pública da Secretaria do Estado de Saúde do Ceará, em Fortaleza. 

Após a mesa de abertura, o coordenador do Nethis, José Paranaguá de Santana, discorreu sobre “Cooperação Sul-Sul, complexo econômico-industrial da saúde e bioética”. mesa1A pesquisadora da VPPIS/Fiocruz Sandra Soares, o coordenador do Nethis, José Paranaguá de Santana, e o pesquisador do Ipea, João Brígido.Paranaguá chamou atenção à importância de abordar essa discussão no contexto institucional do estado do Ceará, a fim de propiciar a reflexão sobre questões atreladas às desigualdades e ao desenvolvimento, associadas às práticas de cooperação internacional.

A pesquisadora da vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde da (VPPIS/Fiocruz) Sandra Soares, designada representante do secretário de Ciência Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha, iniciou o dia de palestras. Sandra apresentou o complexo econômico-industrial da saúde (CEIS) no contexto da cooperação externa do Brasil. Veja a apresentação aqui.

O coordenador do projeto de Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi/Ipea), João Brígido Bezerra Lima, apresentou uma análise sobre a cooperação Brasil-África entre 2011 e 2013. A apresentação faz parte do trabalho desenvolvido pelo Ipea com o Relatório Anual Cobradi que objetiva divulgar e dar maior transparência às ações da cooperação internacional brasileira.

O diretor da Fiocruz Fortaleza, Carlile Lavor, o assessor da Fiocruz Brasília, José Agenor Álvares, e a reitora da Unilab, Nilma Gomes.

O diretor da Fiocruz Fortaleza, Carlile Lavor, o assessor da Fiocruz Brasília, José Agenor Álvares, e a reitora da Unilab, Nilma Gomes.

No período da tarde, o coordenador das Assessorias da Fiocruz Brasília, José Agenor Álvares, conduziu o painel “Cooperação Sul-Sul: o desafio das desigualdades no contexto das relações internacionais”. Nessa sessão, o diretor da Fiocruz Ceará, Antonio Carlile Lavor, contou sobre seu trabalho na África, entre 2007 e 2008 com a implantação dos agentes comunitários de saúde em Luanda e entre fevereiro e setembro de 2014, com construção da Política Nacional de Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário, com consultores do Ministério da Saúde de Angola. Após a apresentação, Carlile exibiu o documentário “Angola com Agente”, acesse aqui.

A reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Nilma Lino Gomes, apresentou o projeto institucional da Unilab no contexto da cooperação entre Brasil e os membros da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa. Acesse aqui.

 

A coordenadora do Palin/Fiocruz Brasília, Denise Oliveira, e o assessor para a África do Cris/Fiocruz, Luiz Eduardo Fonseca.

A coordenadora do Palin/Fiocruz Brasília, Denise Oliveira, e o assessor para a África do Cris/Fiocruz, Luiz Eduardo Fonseca.

LIVRO – Após os debates, o assessor para a África do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Luiz Eduardo Fonseca, lançou o livro “Segurança Alimentar e Nutricional na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa: desafios e perspectivas”. A coordenadora do Programa de Alimentação, Nutrição e Cultura (Palin/DIREB), Denise de Oliveira e Silva, também participou do lançamento, quando ressaltou a relevância do tema no contexto de transição dos padrões alimentares, tanto no Brasil como nos países africanos. Foram distribuídas cópias da obra para os presentes.

O Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde Pública tem por objetivo fomentar a reflexão, o debate e o desenvolvimento de estudos científicos interdisciplinares. Em 2014, o Ciclo completa cinco anos, com periodicidade mensal, realizado sempre na última quinta-feira do mês. Em cada sessão, renomados pesquisadores e gestores dos campos da Bioética, da Saúde Pública e das Relações Internacionais são convidados para conduzir as discussões.