Menuidioma

Países da América do Sul discutem conquistas e desafios para recursos humanos em saúde

  • 28 de Novembro de 2012

Coordenador do NETHIS, José Paranaguá, foi moderador da mesa Construção de estratégias para o fortalecimento de Recursos Humanos em Saúde nas Américas, na reunião do Grupo de Trabalho de Recursos Humanos em Saúde da Unasul

Representantes do Grupo de Trabalho de Recursos Humanos em Saúde da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) reuniram-se na Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS), entre os dias 19 e 21 de novembro, para discutir e compartilhar experiências dos nove países sul-americanos na área de recursos humanos em saúde. Apenas Paraguai, Argentina e Guiana não compareceram ao debate.

O consultor técnico da Assessoria Internacional da Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde do Ministério da Saúde Felipe Krykhtine apresentou aos presentes um rascunho de um documento sobre o apoio ao III Fórum de Recursos Humanos em Saúde, que será realizado em Recife, entre 10 e 14 de novembro de 2013. “Queremos que recursos humanos em Saúde seja uma pauta importante na agenda internacional dos países. O apoio de todos os representantes é importante para sensibilizar nossos presidentes”, disse Krykhtine.

O documento “conclama a todos os países membro da Unasul, assim como suas respectivas instituições acadêmicas, conselhos profissionais e outros representantes da sociedade civil a participarem ativamente deste Fórum, visando à busca de soluções para os problemas de recursos humanos em saúde que afligem a nossa região”.

Durante a tarde do dia 20, além do documento, as cinco redes que compõem a Unasul foram apresentadas: Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp), Rede de Institutos Nacionais de Câncer (Rinc), Rede dos Institutos Nacionais de Saúde (Rins), Rede de Escolas Técnicas em Saúde (Rets) e a Rede de Assessorias de Relações Internacionais e de Cooperação Internacional em Saúde (REDSSUR-ORIS).
O representante do Equador Ivan Leon sugeriu que as redes façam uma sistematização dos dados obtidos para legitimar a agenda para o Fórum: “precisamos nos preparar, pois é uma maneira de nos posicionar e mostrar os nossos avanços”.

 
Felipe Krykhtine (SGTES/MS) e José Paranaguá (Nethis)

NOVAS PROPOSTAS – Paranaguá disse que a Unasul pode celebrar a vitória de ter criado as cinco redes e o Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags) – que trabalha para atender às necessidades identificadas pelos Ministérios da Saúde dos países membros dentro do Plano Quinquenal 2010–2015 do Conselho de Saúde Sul-Americano. “Proponho que pensem em novos desafios porque acredito que essas entidades não serão mais subordinadas ao GT de RH da Unasul. A importância desse grupo está na capacidade de tomar iniciativas como essas e cuidar para que elas avancem”.

Os representantes trouxeram para o debate a migração de profissionais de saúde e Paranaguá ressaltou que este é um problema que envolve, inclusive, as cinco redes da Unasul. “É ideia é discutir as iniciativas e ideias que possam ser ventiladas para retomar no último dia mais profundamnete”, recomendou.

UNASUL – É uma comunidade política e econômica organizada com base em instituições existentes, como a União Europeia, estabelecendo níveis de coordenação entre os ministérios estrangeiros apoiados pelas organizações de integração.  A Unasul tem como principal objetivo promover o diálogo político, preparar as reuniões de chefes de Estado e tomar decisões executivas para implementar diretrizes presidenciais.