ONU convoca sessão especial em resposta à pandemia de Covid-19

  • 30 de Novembro de 2020
A sessão acontece nos dias 3 e 4 de dezembro. Pesquisadores da Fiocruz analisam as circunstâncias globais para a realização da sessão especial

Os três pilares que sustentam a resposta das Nações Unidas (ONU) à pandemia de Covid-19 apontam para soluções multilaterais. É o que explicam no artigo Multilateralismo em movimento, face à pandemia de Covid-19 os pesquisadores da Fiocruz Paulo Buss, coordenador do Centro de Relações Internacionais (Cris); Santiago Alcázar, embaixador e consultor do Cris/Fiocruz; e Luiz Augusto Galvão, consultor do Centro Colaborador em Saúde Global e Cooperação Sul-Sul da Organização Pan-americana da Saúde (Opas/OMS).

Diante da convocação de uma sessão especial para a Assembleia Geral das Nações Unidas, os pesquisadores analisam o contexto político global que motiva a realização da reunião e elencam as três perspectivas que direcionam as ações da ONU para o enfrentamento da Covid-19:

  • a primeira diz respeito à ótica sanitária que define as ações de enfrentamento à Covid-19. De acordo com os pesquisadores, a Organização Mundial da Saúde (OMS) coordena esforços para adequar os serviços de saúde nacionais a uma resposta em escala global à pandemia;
  • a segunda perspectiva se relaciona à questão humanitária e apoia-se no Plano de Resposta Humanitária Global à Covid-19, conduzido pelas Nações Unidas, em colaboração com as agências do sistema e com autoridades locais e parcerias internacionais;
  • a terceira é entendida como a ‘retomada’ e sustenta-se em soluções de saída para a crise econômica causada pela pandemia. Segundo os pesquisadores, a retomada está centrada nos princípios e nos objetivos acordados na Agenda 2030.