Menuidioma

Nova diretora da Opas visita a Fiocruz

  • 28 de Fevereiro de 2013

Carissa Etienne revelou as principais metas para sua gestão: ampliar o acesso à atenção à saúde, avaliar quais populações foram deixadas para trás e como os estados–membros podem auxiliá-las, combater as doenças negligenciadas, e desenvolver a prevenção e o controle de enfermidades

A nova diretora da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Carissa Etienne, esteve em visita oficial à Fiocruz nesta quarta-feira (27/2). Durante o encontro com o presidente da Fundação, Paulo Gadelha, e outros gestores da instituição, ela destacou o papel desempenhado pela Fiocruz no desenvolvimento do sistema de saúde brasileiro e de outros países das Américas e salientou seu compromisso com o acesso universal à saúde. “Reconhecemos o trabalho que a instituição faz em termos de inovação, pesquisa e desenvolvimento, produção de vacina e de medicamento. Este é um momento em que devemos estudar as parcerias que já temos com a Fiocruz e avaliarmos como podemos apoiar um ao outro a fim de dar auxílio também a outros países”, disse.

 
O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, recebe a diretora da Opas, Carissa Etienne,
no terraço do Castelo da Fundação (Foto: Peter Ilicciev) 

Etienne também revelou as principais metas para sua gestão na Opas. “Ampliar o acesso à atenção à saúde, avaliar quais populações foram deixadas para trás e como os estados–membros podem auxiliá-las, combater as doenças negligenciadas, e desenvolver a prevenção e o controle de enfermidades são alguns de meus principais objetivos”, declarou. Ela também realçou que os países das Américas alcançaram grandes conquistas no setor de saúde, entre elas, a erradicação  da varíola e da poliomielite e rubéola em algumas regiões. Porém, segundo Etienne, ainda há desafios a serem enfrentados pelas nações da região, sendo o maior deles a iniquidade social. “Para garantir a saúde das populações, precisamos focar nos grupos mais vulneráveis e instituir mecanismos que façam com que eles tenham possibilidade de acessar o cuidado à saúde e ter acesso aos determinantes sociais da saúde: à educação, empregos, esgotamento sanitário, entre outros importantes componentes”, propôs.

A cooperação da Opas com os países das Américas em prol do desenvolvimento dos sistemas nacionais de saúde, segundo ela, vai se dar de acordo com as particularidades de cada uma dessas nações, respeitando suas diferentes  necessidades. “Nossos objetivos estarão alinhados com os objetivos e prioridades dos estados-membros. Não convém a Opas determinar o que cada país deve fazer, mas sim, auxiliá-los a atender a 100% das necessidades de saúde da sua população”, explicou.

Na ocasião o presidente da Fiocruz destacou a importância da visita da nova diretora da Opas à Fundação. “A vinda da diretora tem um significado muito relevante, pois é um momento de renovação, de atualização, de redesenho e de algumas estratégias de parcerias com a Opas. Estamos muito honrados por ela ter visitado a Fiocruz em sua primeira vinda como diretora ao Brasil”, afirmou. Para o coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Paulo Buss, a visita de Etienne abre caminho para novas cooperações com a Opas. “Propusemos à organização que ela se comprometa cada vez mais com a Rede de Institutos Nacionais de Saúde, de escolas nacionais de saúde pública, de institutos de saúde da mulher e da criança e com os próprios sistemas universais de saúde, já que essa é a vocação do trabalho internacional das duas instituições”, disse.

Antes de se tornar diretora da Opas, cargo que assumiu em fevereiro desse ano, Etienne atuava como subdiretora geral dos sistemas e serviços de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS). Também foi subdiretora da Opas entre 2003 e 2008 e consultora para a mobilização e participação da sociedade civil e comunidades no processo de planificação nacional de seu país de origem, Dominica. É formada em medicina e cirurgia pela Universidade das Índias Ocidentais, tendo uma carreira de mais de 30 anos na saúde pública. Em Dominica, atuou como diretora dos Serviços de Atenção Primária em Saúde e foi coordenadora do Programa Nacional contra a Aids e do Programas sobre Desastres.

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias.