Menuidioma

NETHIS e Assessoria Internacional da Fiocruz Brasília promovem debate sobre a 64ª Assembleia Mundial de Saúde

  • 22 de Junho de 2011

Participantes fazem reflexão sobre os temas prioritários apontados na Assembléia e sobre a governança mundial da saúde global

Com o objetivo de informar aos colaboradores da Fiocruz Brasília o que foi discutido durante a 64ª Assembleia Mundial de Saúde, o Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde – NETHIS promoveu, no dia 20 de junho, junto à Assessoria Internacional da Fiocruz Brasília, um debate em torno das reflexões sobre a governança da saúde global. O encontro foi conduzido pelo Assessor Internacional Carlos Passarelli, que esteve presente na 64ª Assembleia Mundial de Saúde.

O Assessor Internacional explicou como é formada a estrutura da governança da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a estrutura da Assembléia Mundial da Saúde, além de destacar o tema prioritário da Assembleia. “O tema de maior relevância política foi a reforma do financiamento da OMS, um tema originalmente proposto pela delegação brasileira, mas que saiu da esfera administrativa para discutir o posicionamento da OMS na arquitetura da saúde global”, disse.

Segundo Passarelli, houve ainda a apresentação de outros temas tidos como prioritários durante a Assembleia: “Foram discutidos temas como a prontidão para epidemia de influenza, no que se refere ao compartilhamento de vírus e benefícios; Medicamentos falsificados; Definição de indicadores para o monitoramento e avaliação que dêem conta das realidades locais e regionais no que tange o regulamento sanitário internacional; Estratégia global de imunização referente à rubéola, ao sarampo e HIV e a erradicação dos reservatórios do vírus da varíola; Doenças crônicas e não transmissíveis e Determinantes Sociais de Saúde”.

A 64ª Assembleia Mundial da Saúde aconteceu entre os dia 16 a 24 de maio, em Genebra, Suíça. É formada por delegações de todos os Estados membros da OMS, tendo como principais funções a determinação das políticas da Organização, a nomeação do diretor-geral, a supervisão das políticas financeiras, assim como a revisão e aprovação do orçamento-programa proposto. Durante os nove dias, participaram mais de 2600 delegados de 179 Estados Membros.

Veja a apresentação

{edocs}Documentos/assembleia_mundial_passareli.pdf,420,348{/edocs}