Menuidioma

JUL/2011 – Ciência e Poder: Gestão do Conhecimento em Bioética, Diplomacia e Saúde

  • 31 de Julho de 2011

Tema: Ciência e Poder: Gestão do Conhecimento em Bioética, Diplomacia e Saúde

Expositor: Ilma Noronha
Coordenadora da Rede de Bibliotecas da Fiocruz
Debatedor:
Pedro Urra
Diretor da Bireme/OPAS/OMS
Coordenador da mesa:
Emir Suaiden
Diretor do IBICT e professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UnB

Resumo
O sexto encontro do ano de 2011 do “Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde”, promovido pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (NETHIS), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Bioética da Universidade de Brasília, com apoio da Direção Regional de Brasília da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ Brasília) e da OPAS/OMS/Brasil, tratou do tema “Ciência e poder: gestão do conhecimento em bioética e diplomacia em saúde” e contou com a participação, como palestrante, da Doutora Ilma Noronha (ICICT/FIOCRUZ); como debatedor, do Senhor Pedro Urra (BIREME/OPAS/OMS) e, como presidente de mesa, do Doutor Emir Suaiden (IBICT).

Antes da palestra, houve o lançamento da Biblioteca Virtual em Saúde sobre Bioética e Diplomacia em Saúde do NETHIS, com apresentação do Doutor José Paranaguá de Santana, coordenador do Núcleo. Ele apresentou a utilidade da BVS para aqueles que se interessam pelo estudo da inter-relação entre os campos da bioética, da diplomacia em saúde e da saúde pública. Neste particular, ressaltou que os trabalhos científicos do Núcleo partem, conceitualmente, da noção de campo elaborada por Pierre Bourdieu. A seguir, falaram o Doutor Cláudio Lorenzo, pela UnB, e a Doutora Nísia Trindade Lima, pela Fiocruz.

A palestrante destacou que no Brasil, atualmente, vive-se o paradoxo de que, ao mesmo tempo em que a atual política científica nacional reconhece que a informação científica é um bem público e um direito de cidadania, o seu acesso permanece restrito, bem como o seu compartilhamento e uso permanecem limitados. Não obstante as conquistas, no Brasil ainda há muito o que avançar em direção ao acesso livre.

O debatedor, respondendo à questão da palestrante, sobre o que pode ser feito para melhorar o acesso aberto à informação em saúde no Brasil, apresentou as prioridades que ele considera que devam ser enfrentadas: desenvolver capacidades nacionais para manejar o acesso aberto, produzir bens públicos internacionais ou globais e perceber que a saúde existe no contexto da sociedade como um tema intersetorial. Essas prioridades devem ser realizadas com o respeito à reunião entre a ética e a ciência.

Este ciclo de debates representou mais uma contribuição relevante para a construção dos trabalhos do NETHIS, mostrando que o NETHIS está no caminho do seu amadurecimento como espaço científico e que tem muito a contribuir com o acesso ao conhecimento no campo da bioética, na sua intersecção com a diplomacia em saúde e com a saúde pública – a Biblioteca Virtual em Saúde é um passo fundamental nesse sentido.

Acesse o relatório (PDF)

Apresentações

Expositora Aqui

Lançamento da BVS – Tyara Barbosa Aqui

Imagens – Lançamento BVS NETHIS