Menuidioma

Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde vai funcionar no Brasil

  • 1 de Setembro de 2011

O Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (ISAGS), órgão intergovernamental da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), com sede no Rio de Janeiro, é nova instituição internacional na área da saúde a funcionar no Brasil. Tem como Coordenador Executivo, o ex-ministro da Saúde e pesquisador da Fiocruz, José Gomes Temporão. Enquanto não tem a sua situação jurídico-administrativa formalizada, o ISAGS está sendo tratado como Pro-ISAGS, pois ainda é um projeto em fase final de implantação.

 

Estabelecido no âmbito da UNASUL, o principal objetivo do ISAGS é constituir-se como um centro de altos estudos e debate de políticas para o desenvolvimento de lideranças e de recursos humanos estratégicos em saúde, voltado para a promoção da governança e liderança em saúde nos países da América do Sul, além de oferecer subsídios para articular a atuação regional em saúde global.

Segundo Temporão, a criação do ISAGS expressa uma vitória importante ao colocar a saúde como tema prioritário na agenda política do Continente: “Queremos que o ISAGS funcione como catalisador de iniciativas, como potencializador de tecnologias, colocando o conhecimento de que a saúde vem se tornando cada vez mais importante em termos globais à disposição dos ministérios da saúde do continente”, explicou.

A inauguração do Pro-ISAGS aconteceu no último dia 25 de julho e foi prestigiada por ministros e vice-ministros da Saúde dos 12 países-membro da UNASUL, entre os quais o ministro da Saúde Pública do Uruguai, Jorge Venegas, que ocupa a presidência Pro-Tempore da UNASUL-Saúde.

Nos quatro dias seguintes à inauguração, especialistas dos 12 países integrantes da UNASUL participaram de oficina de discussão sob o tema “Sistemas de Saúde da América do Sul: desafios para a universalidade, integralidade e equidade”. No encontro, foram debatidos aspectos relacionados aos sistemas de saúde, que vão resultar em um perfil feito até agora sobre a saúde na Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Novas oficinas serão realizadas pelo ISAGS para debater questões específicas sobre Vigilância Epidemiológica, Vigilância em Saúde, Determinantes Sociais da Saúde e Diplomacia da Saúde. (Agenda a ser oportunamente divulgada).

Mais informações