Menuidioma

Debate aborda a atuação do Brasil nas relações de cooperação internacional para o desenvolvimento

  • 20 de Abril de 2012

A atuação do Brasil nas relações de cooperação para o desenvolvimento internacional e suas características é tema da edição de abril do II Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde Pública, que será realizado no próximo dia 26, no Auditório Interno da FIOCRUZ Brasília. O debate, promovido pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (Nethis), reunirá representantes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), da Universidade de Brasília (UnB) e pesquisadores da FIOCRUZ Brasília.

Em fevereiro deste ano, o Ipea divulgou um Comunicado sobre a Nota Técnica nº 136, com o título Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi): O Brasil e os Fundos Multilaterais de Desenvolvimento. O documento antecipa os resultados da pesquisa sobre as principais características da cooperação para o desenvolvimento internacional e a inserção do Brasil. De acordo com o coordenador do Nethis, José Paranaguá, o tema do debate é uma oportunidade de analisar e abordar a avaliação feita pelo IPEA sobre a política externa brasileira no que diz respeito à cooperação para o desenvolvimento.

O debate também pretende promover o debate sobre como o Brasil tem se proposto a colaborar com os outros países, além de analisar de que forma esta cooperação tem sido feita. “No campo da saúde, a cooperação deve ser vista também pela perspectiva ética, moral, de direito humanos. Debater este tema interessa muito ao Nethis”, diz.

Entre os convidados para o debate, que tem como tema “A cooperação internacional para o desenvolvimento: situação atual e perspectivas da contribuição brasileira”, estão o técnico de Planejamento e Pesquisa da Diretoria de Estudos e Relações Econômicas e Políticas Internacionais do Ipea, João Brígido Lima, e o pesquisador do Programa Nacional de Pesquisa para o Desenvolvimento do Ipea, Rodrigo Campos. E evento será realizado das 08h30 às 12h00.

Sobre a realização do debate, Paranaguá afirma: “A discussão possibilita a capacitação e o aprendizado. A Fiocruz, que pratica cooperação internacional, está interessada e tem promovido encontros no sentido de contribuir para melhorias nos processos de cooperação. A saúde é uma área muito importante para a cooperação internacional”, conclui.