Menuidioma

Congresso Internacional discute Diversidade e Pluralismo na Bioética Clínica

  • 29 de Maio de 2012

Foi realizado em São Paulo, entre 16 e 19 de maio de 2012, o Congresso Internacional de Bioética Clínica. Promovida pelo Centro Universitário São Camilo, a oitava edição do evento problematizou a consolidação de um método universal para a resolução de conflitos bioéticos a partir da questão central:  constatada a diversidade de abordagens bioéticas que se multiplicam por todo o mundo, seria possível encontrar um consenso global mínimo para a disciplina?

De acordo com Tristan Engelhardt,  responsável pela provocativa mesa de abertura, a reposta é não. Para o autor da obra “Fundamentos da Bioética Cristã Ortodoxa”, determinadas perspectivas bioéticas respondem a moralidades distintas que, em alguns casos, são inevitavelmente concorrentes. Tal diversidade ética fomentaria uma dinâmica moral conflitiva que nem os Direitos Humanos, ou os princípios de uma Moralidade Comum, poderiam superar.

No entanto, nota-se que a própria realização do Congresso, que reuniu diversas perspectivas bioéticas ‘concorrentes’ em um ambiente amistoso, aponta que o pessimismo de Engelhardt pode não ser justificado. A exemplo disto, o evento se revelou como um campo fértil para o diálogo entre críticos e defensores de moralidades baseadas em distintas religiosidades, ideologias, nacionalidades e perspectivas políticas.

O Congresso destacou-se também pela abordagem das origens europeias da Bioética a partir do resgate das publicações do alemão Fritz Jahr, que entre os anos 20 e 40 do século XX já apontava o neologismo “Bioética” como um campo de reflexão aplicada aos dilemas morais envolvendo seres humanos, animais e plantas. Reconhecido o ineditismo do autor, caberá aos bioeticistas contemporâneos realizarem uma análise crítica e aprofundada das ideias propostas por Jahr.

Participação do NETHIS

O NETHIS esteve representado no Congresso pelo pesquisador bolsista Thiago da Cunha, responsável pela apresentação de uma Comunicação Oral que problematizou o regime normativo internacional que regula a ética das pesquisas envolvendo seres humanos, destacando os discursos de membros de Comitês de Ética em Pesquisa a respeito de ofertas remuneratórias para sujeitos participantes de ensaios clínicos. Thiago também participou da reunião da Sociedade Brasileira de Bioética em que foi debatido o papel da Sociedade nos debates públicos afetos ao campo da Bioética.